Com a inauguração da presidência de Filipe Nyusi tanto no Partido Frelimo como no governo, o GAMBIAR da juventude acendeu-se. Assistimos ao inusitado influxo de jovens em posições tácticas e estratégicas de direcção em ambos órgãos. Essa decisão audaz, reiterada e sistemática do Presidente Nyusi aponta para a inexorável transição geracional que de forma insuflável é secundada pelos pais-fundadores da nação moçambicana, incluindo Armando Guebuza, Joaquim Alberto Chissano, Alberto Joaquim Chipande, Raimundo Pachinuapa, Mariano Matsinhe, Feliciano Gundana, Marcelino dos Santos. O tempo é para passar o bastão e deixar outra geração correr. NÃO para ficar segurando no apito, mas para finalmente refastelarem-se no conforto de uma missão cumprida. E, pelos vistos, não há razões para alarme. O futuro de Moçambique está bem-entregue; bem-encaminhado. Moçambique está de volta, apenas para citar o Presidente Nyusi.

Ora, o Partido FRELIMO vai a conferências provinciais nos dias 10 e 11 de Junho em todas as províncias do País no âmbito da preparação do 11º Congresso, depois de acontecer o mesmo ao nível distrital.

Um aspecto fundamental que vai marcar estas conferências provinciais e de seguida o congresso será a conclusão do processo de transição geracional. A juventude será o novo normal (the new normal, na sua forma original) na governação deste país: ideias frescas, novas abordagens para velhos problemas; abordagens revolucionárias (disruptive approach, em inglês) param novos problemas; sucessos perturbadores, enfim, o advento de um “novo normal”.

Ao nível da Cidade de Maputo, o Secretário do Partido FRELIMO Francisco Mabjaia parece-me uma peça a não remover por ser o arco que liga a juventude às suas causas, as mulheres à sua luta; alguém que articula os vários interesses internos e externos para o sucesso da organização (elogios à parte, não gostei o facto de ter dado o nome da sala de reuniões recém-inaugurada, Sala Filipe Nyusi. Bajulou demais chefe). Nem David Simango nem Hermenegildo Infante, não souberam em tantos anos da sua liderança articular os vários interesses, as várias sensibilidades.

Desejo boa-sorte a todos jovens da FRELIMO e faço votos que façam bom uso das responsabilidades em prol dos interesses saudáveis do país e do vosso próprio partido.

Endosso os meus cumprimentos vitais aos jovens que tanto admiro e que pela sua conduta suprapartidária, entrega abnegada ao trabalho e reputação ilibada, influenciaram e continuam a inspirar muitos jovens; homens e mulheres pelo país e mundo-fora. Cumprimento Basílio Muhate, meu arqui-amigo; António Niquice, Chakil Aboobacar (o mais velho), Edmundo Galiza Matos Jr, Catarina Dimande, Helder Injojo, Mety Gondola, Dominic Phiri, Alexandre Muianga, Manuel Formiga, com votos de que nestas conferências provinciais saiam mais fortalecidos.

O tempo é da juventude. Cristal clear!

Juventude é minha agenda. Onde ela estiver, o meu apoio é incondicional, claro e feito em alto e bom som.